sábado, julho 02, 2011

Pega chocolate, gata.


Também vale prestar nota aos outros fatos isolados coincidentes aparentemente que mudam nossos rumos de vida, e é justo dizer que amadurecimentos são alcançados através de dificuldades.
Mas não desejo falar disso. Desejo dizer um oi, e voltar a postar a respeito após nove meses. Vamos aproveitar nossas vidas, gente. É tudo de passagem, e se der pra salvar um dia da vida de alguém, já é bastante coisa. Sou muito grato também, e espero que tudo seja como o som de Tim Maia: sem grilos de mim, sem desespero, sem tédio, sem fim. Que venha o cataclisma.

1º de Julho


Há um tempo, escrevi sobre como as coisas mudam rápido. A vida muda muito rápido, assim como suas percepções e seu conhecimento sobre si. Acho que há 1 ano e 9 meses, quando escrevi a respeito, fui mais clara com a idéia que tentei expressar, mas o texto em si foi apenas uma comparação entre vidas diferentes.
Desde aquela época, havia essa busca pelo renascimento, e o conflito do "para renascer, o velho tem de morrer". Não entendo bem essas idéias ou regras. No conceito que acredito, ou preciso acreditar, limitações só existem quando são self-impostas, e isso parecer ser uma delas. De acordo com várias correntes, somos o que somos em qualquer lugar, e qualquer tempo, o que torna contraditória a idéia de morte para renascimento. Não acho que algo possa realmente ser morto, dentro de voce ou no mundo externo.
E é engraçado que, talvez, como já defendi nos mesmos dois anos atrás no "material não-publicado" e pseudo-esquecido, Deus realmente esteja lá controlando tudo e tenha um enorme senso de humor. Explico: sejam datas, a luz que sempre se apagam ao fitar, séries de eventos que parecem se repetir com extraordinária capacidade em dias específicos. Parece arrogante imaginar que tudo seja apenas coincidência, tanto quanto imaginar um universo todo só pra nós, apesar das diversas luzes misteriosas que varam o céu toda noite, pedindo para que as avistem.
Também parece arrogância achar que um fato que, neste dia comemorou 5 anos, tenha sido coincidência. De qualquer forma, este post homenageia isso, de forma simples e direta. Acho que, coisas acontecerem desta forma, como sempre, nos lembram do quão incontrolável nosso caminho é, e parece improdutivo então procurar respostas para perguntas vindas destes eventos. Se um dia você duvidar do seu caminho, e desconfiar que está no lugar errado, acredite nas suas emoções, e acredite em você. Foram nossas escolhas que nos levaram para onde estamos agora, e por mais destrutivos que possamos ter sido em nossos caminhos, aprentemente, a tentativa de firmar uma âncora em destinos para que não permitam voltas sempre acaba se provando equivocada. Talvez pela nossa arrogância, de achar que temos algum controle verdadeiro e a resistência mude algo. Mas sempre saiba confiar em você. E não importa o que ocorra, podem confiar em mim.
Standing no chance to win, but, we're not running. We're not running.